Dá-me 2016, Senhor! 

 

A população de muitos países está envelhecendo. Já sabíamos disto por conta de indicadores de alguns países europeus. Porém, a China, também preocupada com o envelhecimento da população, recentemente autorizou aos casais terem dois filhos, algo que não era permitido. Até no Brasil já há estudos de que a população vai envelhecer mais, já que a expectativa de vida média do brasileiro está aumentando. Novos tempos.

Mas eu me pergunto o que os jovens/adultos estão fazendo. Particularmente, considero que alguém que tenha setenta anos ainda pode produzir muito, embora já tenha de pensar em descansar um pouco. Porém, abaixo dos setenta, com boa saúde, acho que ainda se pode produzir muito. É só pedir a Deus. Entretanto, não é isso o que se vê. Tem muita gente ainda capaz, mas sem perspectiva de vida, ou seja, não tem metas, planos para o futuro, a não ser deixar a vida passar. Para mim essa condição se agrava quando se trata da vida cristã. Os cristãos têm uma missão bem definida, mas nem sempre a assumem. As igrejas estão cheias de pessoas que não fazem, absolutamente, nada para o Reino de Deus, propósito para o qual suas vidas foram salvas. Vidas sem frutos, figueiras que não dão figos... Tem muita gente assim, dominada pela mornidão espiritual, que é uma verdadeira prisão espiritual, a qual incapacita a pessoa a ser útil para Deus, tornando-a inapta para o Seu Reino. Pensando em tudo isso é que impressionam as palavras do idoso Calebe, aos oitenta e cinco anos, quando disse: “...dá-me este monte de que o Senhor falou naquele dia, pois, naquele dia, ouvistes que lá estavam os enaquins e grandes e fortes cidades; o Senhor, porventura, será comigo, para os desapossar, como prometeu” (Josué 14.12).

Para refrescar a memória precisamos relembrar o que estava acontecendo quando Calebe fez esse pronunciamento. Calebe foi um daqueles doze espias enviados por Moisés para espiar a terra prometida, mas apenas ele e Josué creram que Deus poderia lhes dar a terra por conquista. Os outros dez espias foram incrédulos, provocando a ira de Deus, que os fez vagar pelo deserto até que toda aquela geração incrédula morresse. Isso levou cerca de quarenta e cinco anos e somente Josué e Calebe foram preservados com vida. Portanto, quando Deus permite que eles se deparem novamente com a terra prometida, Calebe já tem oitenta e cinco anos (Josué 14.6-15).

Impressionam as palavras de Calebe. Ele não se utilizou da idade avançada para ter uma boa desculpa para se acomodar. Ele queria lutar. Ele não desistiu da promessa que Moisés lhe havia feito, de que a terra que pisara seria dele. Creio ter sido ele alguém que sonhava em reviver aquela oportunidade e não aceitaria ver seu sonho frustrado. Ele confiava em Deus, e sabia bem porque Deus o havia conservado em vida e forte. O testemunho de Calebe foi o de alguém que perseverou em seguir o Senhor. O final da história foi que Josué o abençoou e lhe deu Hebron por herança.

O que estamos querendo com a carreira cristã? Quem tem alvos? Quem tem metas e persevera até cumpri-las? Quem crê que as promessas do Senhor sempre se cumprem? Qualquer disposição diferente do exemplo de Calebe não dignifica a Igreja de Cristo. E muita gente não quer nada, não espera nada e até foge do que lhe caberia por competência.

Ah, Deus! Dá-nos mais calebes, homens e mulheres que perseverem em seguir o Senhor, que não se esqueceram de Tuas promessas e ainda amam a Tua herança. Dá-nos 2016 para Ti, Senhor! Usai-nos! Eis-nos aqui! Cremos que tudo o que foi prometido pelo Senhor é nosso e que neste ano conquistaremos a Tua herança.

 

Pr. Hilário José